Tendo por base as diversas decisões do Governo Grego relativas à gestão das suas fronteiras no âmbito do atual contexto da pandemia COVID-19 a Embaixada de Portugal apela à leitura das medidas em vigor decretadas pelas autoridades locais e do cumprimento das seguintes recomendações:

O Governo Grego determinou que todos os viajantes que desejem viajar para a Grécia devem preencher o formulário de localização de passageiros (PLF – Passenger Location Form) que se encontra disponível no plataforma https://travel.gov.gr.

Todos os viajantes são obrigados a preencher e enviar o seu PLF antes de entrar no país. Deverão fornecer informações detalhadas sobre seu ponto de partida, a duração das estadias anteriores noutros países e o endereço da sua estadia na Grécia.

Todos os passageiros provenientes do nosso País devem estar preparados para testes aleatórios à chegada.

Condições de entrada na Grécia de viajantes (aplicadas também a crianças maiores de cinco anos):

- Proibição de entrada na Grécia de cidadãos oriundos de países que não pertencem à UE ou área Schengen, exceto passageiros e residentes permanentes dos seguintes países: Albânia, Andorra, Arábia Saudita, Argentina, Arménia, Austrália, Azerbeijão, Bahrein, Bielorrússia, Bósnia-Herzegovina, Brunei, Canadá, Chile, China, Coreia do Sul, EUA, Emirados Árabes Unidos, Índia, Israel, Japão, Jordânia, Kosovo, Koweit, Líbano, Macedónia do Norte, México, Moldávia, Mónaco, Montenegro, Omã, Nova Zelândia, Qatar, Reino Unido, Rússia, San Marino, Santa Sé, Sérvia, Singapura, Tailândia, Turquia, Ucrânia, Uruguai e Vaticano.

- Só serão aceites em viagem essenciais passageiros oriundos da África do Sul, Botswana, Essuatíni, Lesotho, Malawi, Moçambique, Namíbia, Zâmbia e Zimbabué. Os passageiros em apreço devem realizar um teste PCR até 72 horas antes da viagem para a Grécia e serão submetidos a um teste rápido de antigénio, sendo supervisionadas pelas autoridades gregas, a fim de cumprir uma quarentena de 5 dias.

- Obrigatoriedade de preenchimento por todos os passageiros que queiram viajar à Grécia do Passenger Location Form (PLF) através da página eletrónica https://travel.gov.gr.

- A partir de 19 de dezembro às 00h00 nas viagens para a Grécia todos os passageiros têm de apresentar, no momento da partida, o comprovativo da realização de teste PCR ou de teste rápido de antigénio (TRAg) para despiste da infeção por SARS-CoV-2 com resultado negativo (em grego, inglês, francês, alemão, italiano, espanhol ou russo) realizado nas 72 horas ou 24 horas anteriores ao momento do embarque, respetivamente, competindo às companhias aéreas a verificação da existência do referido teste no momento da partida.

A obrigatoriedade de apresentação dos testes abrange todos os passageiros maiores que cinco anos, mesmo os viajantes já vacinados e titulares de certificados de vacinação, aplicando-se igualmente à entrada nas fronteiras terrestres ou portos, independentemente do meio de transporte utilizado.

- Apresentação de certificado de vacinação COVID-19 (das duas doses se for o caso), emitido por uma entidade pública em grego, inglês, francês, alemão, italiano, espanhol ou russo; do certificado deverão constar nome e apelido (tal como identificados no passaporte), tipo da vacina, número de doses e datas da sua administração; viagem só pode acontecer passados 14 dias sobre administração da última dose, ou

- Apresentação de certificado emitido por entidade pública confirmando que o viajante adoeceu e recuperou de COVID-19 nos últimos nove meses da data indicada no certificado;

Todos os passageiros vindos do estrangeiro serão sujeitos aleatoriamente a teste COVID-19 à chegada, com base nos procedimentos previstos pelo PLF.

Em caso de controlo sanitário, o viajante terá de ficar autoisolado no local/endereço do seu destino final na Grécia (indicado no PLF), aguardando o resultado da análise clínica. Se o resultado for positivo, o passageiro ficará obrigatoriamente em quarentena de 5 dias sob a supervisão das autoridades helénicas; se for negativo, poderá prosseguir com seu plano de viagem.

É ainda recomendado pelo Governo Grego que todos os viajantes que entram na Grécia efetuem um teste rápido no segundo e quarto dia após a sua chegada ao país.

Nas viagens internas de e para as ilhas será sempre necessária a apresentação dos seguintes documentos:

- Apresentação de certificado de vacinação COVID-19  (das duas doses se for o caso), emitido por uma entidade pública em grego, inglês, francês, alemão, italiano, espanhol ou russo; do certificado deverão constar nome e apelido (tal como identificados no passaporte), tipo da vacina, número de doses e datas da sua administração; viagem só pode acontecer passados 14 dias sobre administração da última dose, ou

Apresentação de teste COVID-19 PCR negativo em grego, inglês, francês, alemão, italiano, espanhol ou russo, efetuado 72 horas antes da chegada à Grécia; ou

Apresentação de teste rápido de antigénio, em grego, inglês, francês, alemão, italiano, espanhol ou russo.

É recomendado nas viagens para e entre ilhas chegue ao porto de partida com, pelo menos, uma hora e trinta minutos de antecedência.

O Governo Grego decidiu igualmente tornar obrigatória, para todos os cidadãos que não se encontram vacinados, a apresentação de um teste rápido de antigénio ou um self-test negativo nos embarques das ilhas para o continente.

O acesso a espaços fechados, como museus, restaurantes, lojas (excepto supermercados e farmácias) só é possível através da apresentação de certificado de vacinação COVID-19 ou certificado de recuperação emitido há menos de 3 meses. Os menores a partir dos 7 anos são igualmente obrigados a apresentar um teste rápido de antigénio ou um self-test negativo para acederem a estes espaços.

Estão em vigor igualmente as seguintes medidas:

- Obrigatoriedade do uso de máscaras KN95/FFP2, ou de máscaras duplas nos supermercados, transportes públicos e na distribuição do sector da restauração;

- Nos restaurantes cada mesa terá uma capacidade máxima de 6 pessoas;

- Encerramento dos espaços de diversão noturna às 24h00, não sendo permitida a assistência em pé;

- As entradas em lares de idosos exigem a apresentação de um teste PCR negativo realizado até 48 horas antes da visita;

Tenha presente que devido à volatilidade da situação as regras de entrada no país podem ser alteradas sem aviso prévio, não sendo de excluir eventuais restrições à circulação na Grécia se a evolução da situação epidemiológica assim o justificar.

  • Partilhe